LULA SE BENEFICIA COM CONDENAÇÃO, DIZ JORNALISTA DO DATAFOLHA

  • Publicado em Quinta, 25 Janeiro 2018 22:57
  • Escrito por Saloá Notícias
Tamanho do texto:

ft-lulaA condenação unânime em segunda instância dificulta e muito uma eventual candidatura do ex-presidente Lula. Porém, o impedimento pode demorar alguns meses para acontecer e o petista pode até mesmo entrar em campanha antes de uma decisão final sobre o assunto. Neste cenário, se Lula conseguir concorrer sob judice, o maior beneficiário da condenação pode ser ele mesmo, segundo a avaliação do diretor do Datafolha, Mauro Paulino, em entrevista ao jornal Valor Econômico.

“É possível até que ganhe mais intenção de voto. A trajetória anterior do Lula mostra que ele sai fortalecido de episódios como esse”, disse Paulino ao jornal. Ele lembra que, no auge do mensalão, o petista perdeu força num primeiro momento, mas logo se recuperou e impulsionou até mesmo a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff. “O mesmo aconteceu com depoimentos do Lula ao Sérgio Moro, que fizeram com que ele ganhasse mais intenção de voto, saiu 25%, 30% e chegou a 36%”, diz.

A última pesquisa do Datafolha, de dezembro, apontou Lula com 34% dos votos, o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) 17%, Marina 9%, Ciro Gomes (PDT) 6% e Geraldo Alckmin 6%. Para Paulino, contudo, mesmo se Lula for impedido de concorrer, isso não significará que ele não será um agente importante na corrida eleitoral, apontando que um terço dos eleitores votariam com certeza em um candidato apoiado por ele. De acordo com o diretor do Datafolha, 25% dos votos de Lula iriam para Marina Silva, no caso de impedimento do ex-presidente, sendo ela a principal beneficiária, 14% iriam para ex-ministro Ciro Gomes (PDT), enquanto o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) herdaria 6% dos votos do petista. Já um cenário sem o petista, cerca de 29% dos eleitores diz que votariam branco ou nulo. O restante se declara indeciso.

DIRIGENTES DO PT DESAFIAM JUSTIÇA A MANDAR PRENDER LULA: Reunidos nesta quinta-feira (25) em São Paulo, dirigentes do PT desafiaram a Justiça a decretar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sob ameaça de causar convulsão social. O petista foi condenado na quarta-feira, por unanimidade, por três juízes do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

alx_montagem-lista_original

Sua pena foi aumentada dos nove anos e seis meses de reclusão determinados pelo juiz Sergio Moro em julho passado para 12 anos e um mês. Segundo entendimento atual do STF (Supremo Tribunal Federal), a determinação de prisão só pode ser efetivada quando esgotados todos os recursos na segunda instância. O senador Humberto Costa (PE) afirmou que não pagaria para ver a repercussão social em caso de detenção, em um momento de insatisfação com o governo Michel Temer.

"Uma parcela significativa da população deposita esperança no retorno de Lula para uma vida melhor. São imprevisíveis as consequências. Eu não pagaria para ver. Não sei o que pode acontecer", afirmou o parlamentar, que participou em São Paulo da reunião do partido que confirmou o lançamento de Lula como pré-candidato a presidente. Presidente do PT no Rio, o ex-prefeito Washington Quaquá diz que hoje seria uma bravata prometer levar um milhão de pessoas às ruas em defesa do ex-presidente. Mas que seria muito mais fácil trabalhar por isso se Lula fosse preso.

"Atrevam-se a prender Lula", afirmou. "Não queremos fazer revolução. Queremos fazer um grande acordo nacional. Mas, se prenderem o Lula, a democracia no Brasil, para nós, acabou", completou o líder da sigla no Rio. (Catia Seabra e Joelmir Tavares – Folha de S.Paulo - Blog do Magno Martins)